Momento nostalgia: o jornalismo nos anos 1940

setembro 17, 2013
O vídeo desse post volta à década de 1940, e para os dias de hoje soa até engraçado. Fala sobre o funcionamento da redação de um grande jornal, a divisão dos repórteres — os que cobrem incêndios, os que fazem plantão na delegacia –“for beginers”, como diz o narrador –, o papel do editor, os departamentos especiais — no caso, a sala do telégrafo, por onde os correspondentes enviavam seus relatos– e os compromissos éticos de todos.
Embora os tempos tecnológicos sejam outros, é interessante observar o que não mudou. Como quem são os que ganham mais na redação, a hierarquia, a divisão de tarefas. Reparem como, naquele tempo, a mulher só aparecia na sessão de beleza e moda, editoria que era lugar quase exclusivo para as repórteres.
Um dos meus trechos preferidos é o que diz que o crítico de arte deve ser justo com a classe artística. Outro é sobre o redator de editorial, onde o repórter aparece com a máquina de datilografar na mesa, o jornal e alguns livros.
“O redator do editorial deve ser capaz de escrever sobre vários assuntos diferentes. Mas em vez de apenas reportar as notícias, ele deve analisar a notícia e explica seu significado, e pode expressar suas opiniões pessoais. (…) Para entender e interpretar os fatos do dia ele deve ler e estudar continuamente, em adição ao seu vasto conhecimento e experiência”.
Qual dos repórteres apresentados no vídeo é você?

“As qualificações para ser um bom jornalista não são simples” 

“O jornalismo é um trabalho para os mais jovens”

“Se você não gosta de escrever, você não será feliz no jornalismo. Se você gosta, pratique o máximo que puder”

 

Comente

Your feedback is valuable for us. Your email will not be published.

You must be logged in to post a comment.